Brian Dyson compara crise argentina a ´um tango´

O vice-presidente mundial da The Coca-Cola Company e principal executivo da área de operações (CCO) da multinacional americana, o argentino Brian Dyson, informou que as vendas da empresa na Argentina apresentaram queda de 18% no primeiro trimestre deste ano. Ele lamentou a situação da Argentina que descreveu como "um tango", com todo o seu conteúdo trágico, mas disse que a companhia manterá seus investimentos no país. Segundo Dyson, a Coca-Cola que ficou sem fazer propaganda de seus produtos na Argentina nos três primeiros meses do ano, reapareceu no fim de março com uma campanha que emociou os argentinos intitulada "Simplesmente com você". Segundo Dyson, com a campanha a empresa quis passar uma mensagem de amizade com seus consumidores, mostrando que está presente em suas vidas também nos momentos difíceis. Ele prevê, porém, que a empresa continuará a enfrentar problemas na Argentina, onde a desvalorização cambial fez que reduzisse margens. "Nesse momento, o investimento que estamos fazendo é a implantação de sistema de garrafas retornáveis, que reduz o custo do produto, deixando de lado as não retornáveis para poder repassar ao consumidor o produto com um preço menor". Dyson disse, no entanto, que está confiante de que seu país encontre o prumo. "Se me perguntarem se estou otimista ou pessimista, devo dizer que os otimistas sofrem menos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.