Brics defendem manutenção de medidas anti-crise, diz Mantega

Ministro pede continuidade de investimentos e incentivos até EUA e países da Europa saírem da recessão

Leonencio Nossa, da Agência Estado,

08 de setembro de 2009 | 13h51

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou nesta terça-feira, 8, após audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que Brasil, Índia , Rússia e China vão defender na próxima reunião do G 20, e a continuidade dos incentivos a investimentos adotados após a crise financeira, até que haja uma recuperação global. Em entrevista no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), Mantega disse que a avaliação dos ministros da área econômica desses quatro países - que se reuniram em Londres na sexta-feira - é que Estados Unidos e países da Europa ainda não saíram da crise financeira e, por isso, as políticas de investimentos devem continuar.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

"Alguns países, como a Alemanha - um país mais conservador - acham que houve exagero nos gastos de investimentos. E nós nos confrontamos e achamos que poderá haver uma recaída na economia se reduzirem esses incentivos", disse o ministro. Mantega reafirmou que, da parte do governo brasileiro, todas as medidas de desoneração estão mantidas. O ministro fez há pouco um relato ao presidente Lula sobre as discussões ocorridas na reunião do G-20, ocorrida em Londres.

Tudo o que sabemos sobre:
criseBricsMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.