Briga entre Samsung e Apple chega à Justiça

Corte americana seleciona júri para resolver disputa entre líderes em smartphones

ANDREA CHANG , LOS ANGELES TIMES , SAN JOSE / EUA, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h06

Começou ontem em uma corte federal de San Jose, no Estado americano da Califórnia, um julgamento sobre a disputa de patentes envolvendo as duas líderes no mercado mundial de smartphones, a coreana Samsung e a americana Apple. O primeiro passo foi a seleção do júri.

Candidatos a jurado foram entrevistados durante toda a manhã sobre o fato de terem ou não amigos ou parentes que trabalhem para a Apple ou para outra companhia de tecnologia. Eles também tiveram de revelar a marca de seus telefones celulares e tablets e quais livros já leram sobre as duas empresas envolvidas.

A juíza Lucy H. Koh, responsável pelo caso, fez a entrevista inicial com alguns dos candidatos a jurado. Alguns deles admitiram ter parentes ou amigos que trabalham para a Apple. Foram aconselhadas a não manter contato - pessoal ou por redes sociais - com essas pessoas durante o período do julgamento.

Como a Apple é uma empresa americana - e, mais do que isso, californiana -, o objetivo é tentar evitar que a balança da Justiça acabe por favorecer a empresa fundada por Steve Jobs. Durante as entrevistas, houve candidatos que se declararam "de uma família que prefere a Apple", enquanto um deles admitiu favorecer a Apple.

O julgamento do caso deve durar cerca de quatro semanas, com reuniões já marcadas para hoje e também para a próxima sexta-feira. A juíza disse aos jurados pré-selecionados que seu compromisso com o caso deve durar pelo menos até o dia 21 de agosto, mas não se estenderá depois do dia 24. Após o júri ser liberado, vão começar as deliberações para um veredicto.

Dois lados. A Apple e a Samsung entraram com processos alegando que a concorrente teria quebrado suas patentes. Nos últimos meses, a Samsung tem levado a melhor na disputa do mercado de smartphones.

Entre abril e junho, a Apple vendeu 26 milhões de telefones, 28% a mais do que no mesmo período do ano passado. Embora esses sejam números dos sonhos para a maioria do mercado, eles palidecem em relação aos apresentados pela Samsung. No segundo trimestre, segundo dados não oficiais, a companhia produziu mais de 50 milhões de smartphones, ou quase o dobro da concorrente americana.

A Apple acusa a Samsung de copiar "descaradamente" aspectos de seus principais dispositivos móveis, como iPhone e iPad. A empresa busca compensação de US$ 2,5 bilhões ao que considera um "dano irreparável" ao seu negócio. "Não é mera coincidência que os aparelhos da Samsung se parecem tanto com os nossos", afirma a empresa.

A Samsung, por sua vez, diz que a Apple só vendeu seu primeiro telefone 20 anos depois de a Samsung começar a desenvolver tecnologias móveis. "Eles não poderiam vender um só iPhone sem usar tecnologia patenteada da Samsung", diz a companhia. "Embora a Apple esteja tentando jogar o nome da Samsung na lama, a empresa usa a tecnologia da Samsung, pela qual se recusa a pagar." / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.