finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Brinquedo importado será testado lote a lote

Norma do Inmetro, que passa a valer na segunda-feira, atingirá mais as empresas que importam com maior freqüência, como Gulliver e Mattel

Ana Paula Lacerda, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2024 | 00h00

A partir de segunda-feira, todos os lotes de brinquedos importados para o Brasil terão de ser testados. A decisão foi tomada pelo Instituto Nacional de Metrologia e Qualidade Industrial (Inmetro), ontem, e será publicada na edição do dia 27 do Diário Oficial da União. "Não importa o tamanho da empresa ou quantos lotes traga de fora, todos (os brinquedos) serão testados antes de ir para as lojas", explicou o diretor de Qualidade do inmetro, Alfredo Lobo. A mudança atingirá especialmente empresas de grande porte, que fazem importações com freqüência, como Mattel e Gulliver.Antes, havia duas opções de avaliação para os brinquedos importados: testes lote por lote ou por gestão de qualidade. Os grandes importadores optavam pela gestão de qualidade, que consistia em testar os brinquedos e, caso fossem aprovados, um novo teste era realizado após quatro meses. Nesse meio tempo, a empresa poderia importar quantos lotes daquele brinquedo quisesse. "Provavelmente foi assim que alguns lotes que tiveram problemas nos Estados Unidos chegaram aqui. Mas agora não haverá mais brecha: todos os lotes importados serão testados", disse Lobo. "O Brasil estará blindado para brinquedos perigosos."Por "lotes com problemas", o diretor se referia aos brinquedos da Mattel e da MegaBrands (importados para o Brasil pela Gulliver) que causaram acidentes com crianças nos Estados Unidos. Eles continham pequenos ímãs que se descolaram e foram engolidos, causando danos ao sistema digestivo das crianças. No Brasil, não foram registrados acidentes, mas as empresas iniciaram o processo de troca dos produtos.A Mattel está fazendo recall dos brinquedos Polly com ímãs, Batman com ímãs e Barbie & Tanner (a lista completa está no site www.recallmattel.com.br). O consumidor deve entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800-7701207. No caso dos Magnetix, da Gulliver, a empresa ainda não anunciou recall, mas afirmou que fará a troca dos brinquedos a partir de 1º setembro. As informações podem ser obtidas no site www.gulliver.com.br e pelo telefone 0800-7702650.Como em ambos os casos os brinquedos com problemas continham ímãs que se descolavam, o Inmetro decidiu acrescentar mais um item à norma brasileira de segurança de brinquedos. "Não aceitaremos mais que sejam fabricados ou importados produtos com ímãs colados", afirmou Lobo. "Somente ímãs encapsulados, ou seja, presos dentro do brinquedo, de maneira que não possam ser engolidos pela criança."MAGNETIXO Inmetro determinou também que todos os brinquedos da linha Magnetix tenham interdição cautelar. "Além da Gulliver, outras empresas importam linhas desse brinquedo. Todos os importadores deverão tirar o brinquedo do mercado até que todas as linhas sejam testadas pelo Inmetro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.