Brinquedos: cuidados na compra

Comprar brinquedos não é uma tarefa das mais simples. Além da qualidade e segurança, o produto precisa agradar a criança a ser presenteada e também o seu bolso. A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça do Estado de São Paulo, alerta que a primeira coisa a fazer é definir o que comprar e dentro de quais condições. É preciso levar em conta o gosto, idade e limitações da criança. Uma pesquisa de preços, comparando as condições de pagamento e vantagens oferecidas de loja para loja pode trazer economia para a sua compra.Outro dado importante a ser observado é que todo brinquedo deve ter um selo de segurança fornecido pelo IQB - Instituto de Qualidade do Brinquedo - juntamente com o do Inmetro - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Isso indica que o produto foi fabricado e comercializado de acordo com normas técnicas.Nunca compre em marreteirosOs preços de brinquedos comercializados por marreteiros e vendedores ambulantes podem ser mais baixos. Porém, esses brinquedos podem trazer problemas ao consumidor, pois normalmente não estão de acordo com as normas técnicas de segurança, colocando em risco a saúde e a segurança da criança. Além disso, nesses casos, a nota fiscal não é fornecida, ou que dificulta o acesso a qualquer informação sobre sua procedência. Os técnicos do Procon-SP orientam para que se evite a aquisição de produtos desta forma, uma vez que não haverá a quem responsabilizar, se for necessário. Exija sempre a nota fiscal referente à compra, pois havendo algum problema com o produto, a garantia só terá validade juntamente com a mesma.. O Código de Defesa do Consumidor dá ao consumidor o direito a , no mínimo, três meses de garantia pelo produto adquirido, no caso de vício aparente e de fácil constatação.Se a compra for efetuada mediante oferta do estabelecimento comercial, por telefone, catálogo, Internet ou reembolso postal, o consumidor pode desistir da transação no prazo de sete dias corridos, a contar da assinatura do contrato ou do recebimento da mercadoria. Nestes casos, faça o cancelamento por escrito, com comprovante protocolado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.