Brinquedos fabricados para Dia da Criança sobem 6%

A indústria de brinquedos não conseguiu segurar o impacto da alta das matérias primas. O preço médio dos brinquedos fabricados para o Dia das Crianças subiu 6%, mas ainda tem uma defasagem de 16,5% em relação à alta média dos preços das matérias primas (22,5%), segundo avaliação da Associação Brasileira da Indústria de Brinquedos (Abrinq).Para o Natal, caso não haja acordo com os fornecedores de plástico, aço, silicone e tecidos, pode haver mais um reajuste médio, na casa de 12%. Levantamento da entidade mostra que os preços do aço subiram 30% desde o início do ano, os dos plásticos, 26%, e dos tecidos, 14%.A produção para o Dia das Crianças foi 8% superior ao mesmo período do ano passado, mas o faturamento ficou estável, na casa de R$ 400 milhões. Foram colocados no mercado cerca de 81 mil peças, 75% delas com preços inferiores a R$ 30,00. "O mercado está recessivo", diz Synésio Baptista da Costa, presidente da entidade. A estratégia do setor é vender mais, a preços mais baixos, a exemplo da indústria de embalagens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.