Brisbane decreta feriado para receber líderes globais

BRISBANE - Em uma solução que lembra a receita adotada pelo Brasil na Copa do Mundo, a prefeitura da cidade de Brisbane, na Austrália, decretou feriado amanhã, 14 de novembro. O dia de descanso tenta diminuir a possibilidade de confusão no centro da região metropolitana que tem 2,2 milhões de pessoas e vai receber dezenas de chefes de Estado como Barack Obama, Xi Jinping e Angela Merkel. O comércio, porém, teme prejuízo.

FERNANDO NAKAGAWA, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2014 | 02h04

As ruas no entorno do Centro de Convenções de Brisbane, no centro da cidade, já estão preparadas para a confusão. Barreiras metálicas e de acrílico com dois metros de altura foram instaladas em todo o entorno do grande edifício que abriga o evento.

Hotéis que receberão presidentes têm o mesmo tratamento. Uma estação de trem que fica ao lado do centro de exposições ficará fechada até o fim do G-20 e dezenas de linhas de ônibus já estão com os itinerários alterados na capital do Estado de Queensland.

Aparato policial. Ainda que a reunião só ocorra oficialmente no sábado e domingo, os chefes de Estado já começaram a chegar e o presidente sul-africano Jacob Zuma foi o primeiro a desembarcar ontem. Para evitar que o G-20 bagunce ainda mais o cotidiano da terceira maior cidade da Austrália, o governo decretou feriado amanhã, dia em que serão realizadas diversas reuniões bilaterais e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deverá chegar à cidade.

Curiosamente, o forte aparato policial nas proximidades do evento contrasta da falta de carros e pessoas nas ruas. Com a mudança no trânsito e nos transportes e os repetidos alertas na imprensa, os habitantes da cidade parecem que já começaram a evitar circular pelo centro. O comércio sente e a Câmara de Comércio do Estado de Queensland teme que muitos habitantes aproveitem o feriado para viajar no fim de semana.

Por isso, o comércio já fala em uma "cidade fantasma" repleta de líderes mundiais nos edifícios protegidos e sem clientes nas lojas e restaurantes.

Tudo o que sabemos sobre:
G-20Merkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.