Britânicos e australianos aumentam preocupação com inflação

As expectativas de inflação atingiramníveis recordes em maio na Grã-Bretanha e saltaram para o maiorpatamar em 15 anos na Austrália, ao mesmo tempo em que o BancoCentral Europeu (BCE) reiterava seu estado elevado de alertasobre os preços e favorecia a projeção de alta global dosjuros. No entanto, o banco central sul-coreano evitou subir osjuros na quinta-feira, mantendo a taxa básica inalterada paramonitorar a pressão sobre os preços e o crescimento na quartamaior economia da Ásia --mesmo que a inflação esteja no maiornível em sete anos. A decisão do Banco da Coréia ressalta o desafio que osbancos centrais têm enfrentado em todo o mundo para balancear anecessidade de agir contra a inflação sem representar um riscopara o crescimento econômico. O Banco do Japão deve seguir o Banco da Coréia nasexta-feira, mantendo os juros inalterados. Na China, a inflação deu a primeira trégua do ano. O índicede preços ao consumidor, em termos anuais, caiu de 8,5 para 7,7por cento em maio. Ainda que a baixa possa dar algum alívio para a equipeeconômica chinesa, que declarou a inflação como seu maiordesafio, economistas descartaram alguma suavização do apertomonetário. PRESSÕES A CAMINHO Os economistas afirmaram que os dados fortes de ofertamonetária em maio e a inflação no atacado de 8,2 por cento,maior nível em quatro anos, sugerem que há mais pressões sobreos preços a caminho. Alguns analistas não culpam a alta das matérias-primas pelainflação na China, mas sim à política monetária frouxa com adificuldade do banco central em recolher o dinheiro provenientede seu enorme superávit comercial. Os responsáveis pela política monetária soaram o alarme nasúltimas semanas em todo o mundo contra a inflação, depois queos preços das commodities, como petróleo e milho, subiram paranovos recordes. "A janela de oportunidade vai fechar nos próximostrimestres, quando o ímpeto de crescimento começar a seenfraquecer e os efeitos secundários de inflação aparecerem",disse Leong Wai Jo, economista do Barclays Capital, emCingapura. "Mas, agora, a janela de oportunidade ainda estáaberta para os bancos centrais controlarem a inflação". ALTA DA INFLAÇÃOA expectativa de inflação futura dos britânicos subiu para orecorde de 4,3 por cento em maio, bem acima da atual taxa de3,0 por cento, mostrou nesta quinta-feira uma pesquisa do Bancoda Inglaterra. Os dados devem encorajar mais investidores aapostar em uma alta dos juros, apesar da projeção de menorcrescimento econômico. Na Austrália, as expectativas de inflação ao consumidorsubiram em junho para o maior nível em 15 anos. O banco centraldo país já elevou o juro para 7,25 por cento para evitar umaumento nas expectativas. Enquanto isso, o Banco Central Europeu (BCE) afirmou em seuboletim mensal que está com alerta elevado contra os riscossobre os preços e que está preparado para atuar de forma firmee oportuna para conter uma espiral inflacionária. O boletim ecoou o que disse na semana passada o presidentedo BCE, Jean-Claude Trichet, depois que o banco manteve osjuros inalterados em 4,0 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.