British Airways teme que guerra leve a mais cortes de empregos

A British Airways PLC (BA) teme que uma guerra com o Iraque possa gerar a necessidade de maiores reduções de empregos e capacidade, segundo informações do jornal Financial Times. Rod Eddington, executivo-chefe da companhia aérea britânica, disse que a BA preocupa-se com o conflito no Oriente Médio e que poderá cortar a capacidade rapidamente, como ocorreu após 11 de setembro de 2001, disse o jornal. Eddington afirmou ao FT que um conflito com o Iraque, na mesma dimensão da Gerra do Golfo, terá um "impacto significativo" sobre o setor aéreo. Uma semana após 11 de setembro, com o declínio da demanda pelas viagens aéreas, a BA interrompeu o serviço de 22 aeronaves, suspendeu 14 rotas e anunciou o corte de outros 5.400 empregos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.