AETV | 29.06.2015
AETV | 29.06.2015

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

'Broadcast' premia analistas de ações

Rafael Frade, do Bradesco BBI, foi o primeiro colocado entre os analistas; no ranking das corretoras, o destaque foi a mexicana GBM

Eulina Oliveira , Karin Sato , O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2015 | 02h05

A escolha de ações de empresas consideradas menos suscetíveis à crise foi a estratégia adotada pelos vencedores da 17ª edição do Prêmio Broadcast Analistas de 2014. Diante do cenário econômico adverso - com atividade fraca, crédito mais escasso, crise hídrica e volatilidade eleitoral - os melhores resultados foram obtidos pela seleção de carteiras defensivas.

O primeiro colocado foi o analista Rafael Frade, do Bradesco BBI. Pelo segundo ano consecutivo, a mexicana GBM chegou ao primeiro lugar do ranking de corretoras. "O papel dos analistas de renda variável de prover pesquisa e transparência às empresas de capital aberto é fundamental para o mercado funcionar bem. Os melhores profissionais fazem uma grande diferença no valor que a corretora presta ao seu cliente", afirma Daniel Parke, diretor-geral da Agência Estado.

As recomendações do vencedor Rafael Frade, formadas por papéis dos setores de serviços financeiros não bancários e de saúde, registraram uma rentabilidade média de 18,04% em 2014, enquanto o Ibovespa teve queda de 2,91%. "O ano foi de muitas incertezas, então procurei montar uma carteira com ações resilientes", diz.

Para 2015, os profissionais mantêm a estratégia de maior conservadorismo, em razão da deterioração do ambiente. Frade recomenda papéis como Qualicorp (planos de saúde coletivos), Cetip (depositária de títulos privados) e BB Seguridade (seguros). Segundo ele, Valid, que atua em meios de pagamentos, é uma aposta, principalmente em função de seu processo de expansão nos EUA. "É uma empresa menos exposta às dificuldades no ambiente macroeconômico doméstico."

O foco em ações de bancos e serviços financeiros, como seguradoras, também consideradas mais resistentes, levou Flávio Yoshida, da Votorantim Corretora, a obter a segunda colocação no Prêmio Broadcast Analistas 2014, com rentabilidade média de 16,22%. Neste ano, ele acredita que os bancos terão perdas maiores com a inadimplência. Por isso, vê potencial em companhias como Cetip e Cielo (meios de pagamento), capazes de manter resultados relativamente bons, mesmo com o cenário pior. "Essas duas empresas têm características mais defensivas, ou seja, serão afetadas em menor escala pela situação econômica."

Na terceira colocação do ranking, ficou George Chen, também da Votorantim Corretora, com suas recomendações em varejo, alimentos, bancos e serviços financeiros. A rentabilidade média das carteiras de ações do profissional foi de 12,29% em 2014.

Corretora. A mesma linha de estratégia garantiu à GBM o Prêmio Broadcast Corretoras 2014. "A ideia foi buscar instituições com fundamentos que pudessem sustentar o desempenho das ações na Bolsa", diz Andre Riva, que chefia a equipe de análise da GBM no Brasil. As recomendações da instituição, com foco nos setores financeiro e de educação, renderam retorno médio de 1,88% no período.

Para 2015, a equipe da GBM vê um mercado basicamente de baixa - problema fiscal que de início leva a impactos negativos para toda a economia - e busca se ajustar ao consequente aumento da seletividade dos clientes. As recomendações levam em conta apostas na venda de determinadas ações. Mas, na avaliação de Riva, nem tudo é negativo, já que o atual patamar do câmbio fortalece as exportadoras e torna a indústria local mais competitiva.

Prêmio. O Prêmio Broadcast de Analistas e Corretoras, elaborado em parceria com o Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa, com base em dados coletados pelo AE Dados, contou com a participação de 124 profissionais e 12 corretoras em 2014. O ranking premia dez analistas e uma instituição que proporcionaram os melhores retornos aos seus clientes.

Para participar do Prêmio, são classificados os profissionais e instituições que cobrem empresas brasileiras, com base no desempenho das ações recomendadas durante o ano. Essas indicações são catalogadas pela Agência Estado a partir dos relatórios divulgados ao longo do ano pelas corretoras que aceitaram participar do estudo. Os analistas devem ter, obrigatoriamente, o Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI - Apimec) e gerenciar as carteiras ao longo do ano em questão.

Conforme metodologia desenvolvida em parceria com o Insper, as diversas formas de recomendações adotadas no mercado de capitais são agrupadas em duas categorias: compra (incluindo outperform, buy) e manutenção (neutra, hold); ou venda (underperform, sell). O resultado é obtido por meio da média simples das rentabilidades das posições. No caso das corretoras, o objetivo é apontar a equipe que teve o maior retorno, pela rentabilidade média de todas as recomendações da instituição.

 

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.