Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

'Broadcast' premia analistas de ações

Corretora mexicana GBM ficou com o primeiro lugar no ranking de corretoras e também foi o destaque entre os analistas que operam no País

Eulina Oliveira e Beth Moreira, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2014 | 02h05

O ambiente de cautela na economia - com desaceleração da indústria, elevação na inadimplência do consumidor, aperto no crédito e inflação em alta - tem levado os analistas a serem cada vez mais seletivos em suas carteiras de ações. A escolha de papéis de empresas capazes de driblar o atual cenário foi o que garantiu o desempenho dos vencedores da 16ª edição do Prêmio Broadcast Analistas.

Enquanto o Ibovespa teve queda de 15,5% em 2013, a rentabilidade média das recomendações feitas pelos dez vencedores do ranking ficou positiva em 7,68%. As indicações mais acertadas, feitas ao longo do ano passado, recaíram sobre os setores de educação e saúde. Também teve destaque o segmento de papel e celulose, ajudado pelo câmbio favorável às exportações.

O analista Vitor Sousa, da corretora mexicana GBM, conquistou o primeiro lugar do ranking ao sugerir ações que geraram ganho de 19,63% no ano passado. Agora, ele mantém recomendações para o setor de educação, em razão do apoio dado pelo governo por meio de programas como o ProUni, Fies e Pronatec. "O momento no setor é de entrega de resultado, crescimento de margens e geração de caixa", diz o analista.

A busca por setores mais resistentes ao cenário macroeconômico também levou a GBM a vencer o Prêmio Broadcast de Corretoras. A instituição evitou exposição a segmentos ligados ao consumo e intensificou o trabalho de selecionar empresas com bons fundamentos que ainda não estivessem completamente precificados. "O ano de 2013 foi difícil para o mercado brasileiro, principalmente devido às baixas perspectivas de crescimento econômico, um cenário que por sinal se estende até o momento", diz Andre Riva, responsável pela equipe de análise da GBM no Brasil.

Entre as ações que apareceram com mais frequência nas carteiras vencedoras de 2013 estavam as de companhias como Fibria e Suzano, de papel e celulose; Kroton, de educação; e Qualicorp, de saúde.

A versão 2013 do levantamento, elaborado em parceria com o Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa, com base em dados coletados pelo AE Dados, contou com a participação de 81 profissionais e 11 corretoras. O ranking aponta dez analistas e uma instituição financeira que proporcionaram os melhores retornos aos seus clientes a partir de suas recomendações.

Metodologia. Para participar do Prêmio Broadcast de Analistas e Corretoras são classificados os profissionais e instituições que cobrem empresas brasileiras, com base no desempenho das ações recomendadas durante o ano. Essas recomendações são catalogadas pela Agência Estado a partir dos relatórios divulgados ao longo do ano pelas corretoras que participam do levantamento.

Conforme metodologia desenvolvida em parceria com o professor do Insper Antonio Zoratto Sanvicente, as diversas formas de recomendações adotadas no mercado de capitais são agrupadas em duas categorias: compra (incluindo "outperform", "buy", por exemplo) e manutenção ("neutra", "hold"); ou venda ("underperform", "sell").

A rentabilidade da carteira do analista é obtida por meio da média simples das rentabilidades das posições. Já no caso das corretoras o objetivo é apontar a equipe que obteve o maior retorno, pela rentabilidade média de todas as recomendações da instituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.