Brookfield pode se unir à OHL em rodovias

O grupo espanhol Abertis está negociando com o fundo de investimento canadense Brookfield uma sociedade na OHL Brasil, empresa dona de uma série de concessões rodoviárias nas Regiões Sul e Sudeste. Segundo fontes ligadas à empresa, o negócio estava bastante avançado e deveria ter sido fechado dia 24.

RENÉE PEREIRA, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2012 | 03h08

Mas, diante do escândalo de pagamento de propina para a prefeitura de São Paulo por shopping centers - que envolve uma unidade Brookfield no Brasil -, a operação teria sido adiada. Em conferência com analistas e investidores na Espanha, o diretor financeiro da Abertis, José Aljaro, disse que a entrada da Brookfield na operação "é apenas uma das possibilidades" da integração da filial da OHL no Brasil, cujas operações foram vendidas ao grupo espanhol em abril.

A ideia era o fundo canadense entrar na sociedade com uma participação minoritária. Aljaro destacou que a integração se realizaria de modo que a companhia "mantivesse a capacidade de gestão, o controle de pelo menos 51% das ações e a consolidação financeira dos ativos integrados".

As negociações com a unidade brasileira foram feitas por meio da Partícipes en Brasil, proprietária de 60% da OHL Brasil (o restante está nas mãos de acionistas como Credit Suisse Hedging Griffo e Kendall Develops S/A). Por essa operação, a holding OHL passou a deter 10% de participação acionária na Abertis, que terá mais um sócio financeiro. A OHL Brasil detém a concessão de 3.227 quilômetros de rodovias no território nacional.

Boa parte das estradas administradas pela empresa ainda está na fase de execução de grandes obras, que exigem desembolsos bilionários. É o caso da Régis Bittencourt, cuja duplicação do trecho da Serra do Cafezal vai custar cerca de R$ 700 milhões.

A obra deveria ter sido entregue em fevereiro, mas por uma série de entraves quase nada saiu do papel. Até agora, apenas 4 km de duplicação, duas pontes e obras de contenção de encosta foram concluídos.

A OHL ficou conhecida no Brasil no leilão de concessão das rodovias federais, em 2007. Na ocasião, a empresa ofereceu lances ousados e arrematou cinco lotes de estradas. Algumas delas com pedágio de apenas R$ 1. /COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.