Brown e Merkel defendem supervisão mais rígida a bancos

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, exigiu neste sábado uma supervisão mais rigorosa do sistema financeiro global, um dia antes de líderes da União Europeia se reunirem para discutir meios de combater a crise financeira. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, pediu que os países da União Europeia trabalhem juntos para lidar com o declínio, dizendo ao jornal Hamburger Abendblatt: "Nós estamos trabalhando intensivamente sobre novas regras para os mercados financeiros internacionais". Brown, falando no fórum político nacional do Partido Trabalhista, do qual faz parte, pediu um mandato global a instituições internacionais que reforce o resgate do crescimento e de empregos. "Eu quero que nós façamos o que foi defendido por nosso país anos atrás. Uma supervisão global daquilo que é um sistema global obscuro. Eu não quero que haja qualquer lugar escondido para instrumentos de investimento especiais, hedge funds ou paraísos fiscais", disse. Na Alemanha, maior economia europeia e que está enfrentando sua pior recessão desde a Segunda Guerra, Merkel fez um longo pedido por uma supervisão mais rigorosa dos mercados financeiros. "Nós precisamos de uma arquitetura financeira global que seja transparente. A origem e o valor de certificados, derivativos e outros títulos devem ser determinados", afirmou. No domingo, a cúpula da União Europeia vai tentar superar as diferenças sobre como combater a crise financeira que colocou o euro sob pressão sem precedentes. No entanto, não são esperadas grandes decisões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.