BrT e Oi querem reestruturação acionária, diz Costa

Ministro pretende apresentar à Anatel justificativas para mudar plano de outorga, o que permitiria fusão

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

29 de janeiro de 2008 | 16h45

A Brasil Telecom (BrT) e a Oi informaram na segunda-feira, 28, ao Ministério das Comunicações sua intenção de promover uma reestruturação acionária na empresa, medida que dependeria de uma mudança no atual plano de outorga do setor. A informação foi dada nesta terça pelo ministro da Comunicações, Hélio Costa, que revelou que pretende apresentar à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta quarta-feira as justificativas que o ministério já encontrou para mudar o plano de outorga, condição para a fusão entre BrT e Oi. "Nós estamos recebendo oficialmente a informação de que as empresas realmente pretendem fazer uma recomposição acionária", disse. Segundo o ministro, que participou de cerimônia nesta terça no Palácio Laranjeiras, a mudança que vem sendo estudada no plano não tem como objetivo beneficiar apenas uma ou duas empresas, mas sim permitir que todo o setor possa resolver as pendências que ainda existem com relação ao plano de outorga. "Não é uma diretriz a um único projeto. É uma diretriz que vai atender a todos", afirmou. O ministro calcula que em até 30 dias o ministério possa levar à Presidência da República a proposta de mudança no plano de outorga. Será o presidente que dará a posição final sobre o assunto. "Eu diria que nos próximos dias, talvez antes do Carnaval, tenhamos uma posição bem definida sobre o assunto. Qualquer movimentação por parte das empresas só tem andamento oficial na medida em que o ministério se reporte à Anatel pedindo informações de como proceder dentro da proposta que está sendo feita", disse.

Mais conteúdo sobre:
Brasil TelecomOiHélio Costa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.