Bunge aprofunda reestruturação na gestão

Bunge aprofunda reestruturação na gestão

Bunge Alimentos e Bunge Fertilizantes viram áreas de negócios e seus presidentes passam a integrar conselho

Eduardo Magossi, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

A multinacional Bunge extinguiu os cargos de presidente da Bunge Alimentos e da Bunge Fertilizantes, aprofundando a reestruturação na gestão administrativa na empresa. Com a reformulação, o presidente do braço de fertilizantes, Mário Barbosa, e o presidente do de alimentos, Sérgio Waldrich, deixam suas funções executivas e passam a compor o conselho de administração da Bunge Brasil.

Procurado pela Agência Estado, o diretor corporativo de comunicação e sustentabilidade da Bunge, Adalgiso Teles, confirmou a informação. "As presidências da Bunge Alimentos e Bunge Fertilizantes serão unidas em um único cargo, o de presidente da Bunge Brasil, ocupado pelo ex-ministro Pedro Parente." Segundo Teles, a reestruturação tirará o foco da gestão por empresas e vai privilegiar as áreas de negócios. A mudança foi divulgada aos executivos da empresa na quarta-feira e deverá ser informada oficialmente ao mercado nos próximos dias.

Na prática, as empresas Bunge Alimentos e Bunge Fertilizantes se transformam em áreas de negócios sob o guarda-chuva da Bunge Brasil, como agribusiness, açúcar e bioenergia e América Latina. Essas áreas de negócios terão vice-presidentes que se reportarão a Parente.

Na área de fertilizantes, a gestão será de Ariosto Riva. Gilberto Tomazoni segue na área de alimentos e ingredientes e, na área de agribusiness, o responsável será Murilo Santana. O vice-presidente de açúcar e bioenergia será Martinho Mota. Ricardo Brito, que veio do Grupo Moema, será presidente do conselho de administração de Bioenergia e não ocupará um cargo executivo. A divisão de América Latina terá como vice-presidente Daniel Maldonado. Parente será o único executivo a se reportar ao CEO mundial da Bunge, Alberto Weisser.

Waldrich, da Bunge Alimentos, e Barbosa, da Bunge Fertilizantes, deixam suas funções executivas depois da consolidação da presença da Bunge no Brasil. Há 37 anos na Bunge, Waldrich foi responsável pelo fortalecimento da divisão trigo com a incorporação da J. Macedo. O executivo também foi um dos principais responsáveis pelo crescimento da Bunge na área de agribusiness e pelo fortalecimento da rede logística da multinacional, além de tomar as primeiras iniciativas em direção ao setor de açúcar e bioenergia. Barbosa chegou à Bunge em 1980 com a missão de vender a Bunge Fertilizantes. Mas, ao longo de 30 anos, fez o negócio crescer e se consolidar para, somente agora, ser vendido à Vale, em negociação que está em andamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.