Bunge, Bimbo e Pepsi disputam Mabel

Não é a primeira vez, mas agora é para valer. Pelo menos é o que garantem fontes ligadas à fabricante de biscoitos Mabel. Dentro de algumas semanas, a companhia deve anunciar sua venda. As interessadas são as americanas Bunge e PepsiCo e a mexicana Bimbo. Há dez anos, a Mabel esteve perto de ser adquirida, mas as conversas, na época, não avançaram.

O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2011 | 03h04

A Bunge, segundo o Estado apurou, é a candidata com mais chances de concluir a aquisição da companhia, cujo controle é do deputado federal por Goiás, Sandro Mabel, que tem 60% das ações. O restante está nas mãos do Grupo Icatu.

A fabricante da margarina Delícia e do óleo Salada nega interesse. Mas a Bunge vem se esforçando para aumentar sua participação no varejo, elevando o número de produtos em seu portfólio. Em maio, por exemplo, lançou uma linha de molhos e extratos de tomate com a marca Primor.

A Mabel, além de ter produtos bem aceitos popularmente, é dona de cinco fábricas em Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Sergipe e Santa Catarina. "Com essas localizações, a Mabel é uma ótima aquisição para qualquer pretendente", diz um concorrente. A PepsiCo, que vendeu há dez dias a linha de pescados Coqueiro para a Camil, não fez comentários. A Bimbo, que em 2008 comprou a gaúcha Nutrella, também não se pronunciou. A empresa inaugurou sua sétima fábrica no País em agosto.

EDUCAÇÃO

Fundo tem US$ 300 milhões para comprar universidades

O fundo americano Whitney International acaba de levantar US$ 300 milhões para investir em instituições de ensino no Brasil e em outros países da América Latina. Com apenas duas universidades no País, o grupo agora quer acelerar seu crescimento na região. Por isso, acabou de contratar o ex-diretor do fundo de private equity da AIG, Marcelo Aguiar, para caçar novos negócios. O executivo já iniciou duas due diligencies (uma em São Paulo e outra no Nordeste) e espera assinar outros dois memorandos de entendimento até o fim deste mês. A disputa no setor não é fácil. Ele vai encontrar pela frente competidores de peso, como Kroton, Estácio, Anhanguera e Abril.

PROMOÇÃO

Ezetec triplica vendas

A incorporadora Ezetec triplicou sua média semanal de vendas com o lançamento da promoção "Moeda Forte", no último dia 10. Metade dos 300 imóveis ofertados foi vendida em uma semana. A campanha oferecia renda de aluguel de 8,4% do valor do imóvel por um ano aos clientes. "Queríamos mostrar que imóveis são uma boa opção de investimento em um momento de queda nos juros e incertezas na Bolsa", diz Emilio Fugazza, diretor financeiro.

PRÊMIO

Direito tributário

O prêmio "Brazil Tax Disputes Firm of the Year" da Tax Review - uma das mais reconhecidas premiações da advocacia tributária mundial - foi dado ao escritório Bichara, Barata & Costa Advogados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.