Buratti adia depoimento e aumenta a cautela dos investidores

A oscilação voltou a dominar o mercado financeiro. A expectativa pelo depoimento na CPI dos Bingos de Rogério Buratti, o ex-assessor do ministro da Fazenda Antonio Palocci, já influenciava os negócios no início da manhã. No final da tarde, no entanto, o advogado do ex-assessor de Palocci pediu para adiar o comparecimento de seu cliente à CPI dos Bingos.Com a crise política voltando a mexer com as expectativas, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda de 1,80%, com 26.769 pontos. Operou entre a máxima de 27.264 pontos (+0,01%) e a mínima de 26.648 pontos (-2,25%). Com esse resultado, a Bolsa acumula alta de 2,79% em agosto e de 2,19% em 2005. O volume financeiro ficou em R$ 1,581 bilhão.A piora da Bolsa paulista estimulou investidores a reforçar posições defensivas em câmbio. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,4100, em alta de 1,05% em relação aos últimos negócios de ontem. O risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País - também subiu e chegou a 413 pontos base.Operadores comentaram hoje que o mercado tende a continuar volátil esta semana, principalmente depois das acusações que envolveram o ministro Antonio Palocci quando ele era prefeito em Ribeirão Preto. O depoimento hoje na CPI do Mensalão, do presidente do PL, Valdemar da Costa Neto, não chegou a afetar os negócios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.