Tasso Marcelo/Estadão
Tasso Marcelo/Estadão

Burger King exigirá bem-estar animal na compra de ovos e carne suína

Medida vale para toda a América Latina, incluindo o Brasil, e deve estar em pleno funcionamento até 2025

O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2016 | 19h32

A rede de restaurantes Burger King anunciou que até 2025 só vai comprar ovos e carne suína de criatórios que não utilizem gaiolas (no caso de aves) ou baias de confinamento nas maternidades (no caso de suínos). A medida, tomada pela controladora da rede, a Restaurant Brands International (RBI), valerá para a América Latina, incluindo o Brasil.

No início do ano a medida já havia sido tomada para a cadeia global. "Entretanto, esta é a primeira vez que a Burger King projeta um prazo para a América Latina", informou a companhia, em nota. A RBI está sendo assessorada pela Humane Society International (HSI), que trabalha também com outras grandes empresas do setor alimentício nesta transição. 

O objetivo principal da medida, conforme a vice-diretora do Departamento Global de Animais de Produção da HSI, Elissa Lane, é privilegiar o bem-estar animal. "Nós damos os parabéns à RBI por trabalhar conosco para melhorar as condições dos animais de produção de alimentos", disse. 

Conforme a declaração da RBI sobre a nova política, a empresa considera que "o bem-estar animal deve ser aplicado em todos os aspectos da produção dentro da cadeia de fornecimento".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.