Bush diz estar preocupado com a economia dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, buscou hoje aliviar os temores de que o país esteja caindo em recessão, afirmando que está adotando medidas para recolocar a economia nos trilhos. "Minha mensagem ao povo americano é esta: Eu sei que é um tempo difícil para nossa economia, mas nós reconhecemos o problema cedo e demos à economia uma injeção de estímulo", disse Bush num rápido pronunciamento na Casa Branca. "Vocês começarão a ver o impacto nos próximos meses.""Eu sei que os americanos estão preocupados com a nossa economia, e eu também", disse Bush. "Está claro que nossa economia desacelerou, mas a boa notícia é que nós previmos isto e tomamos ação decisiva para estimular a economia", afirmou o presidente. Esta manhã, o Departamento do Trabalho anunciou uma forte queda no emprego (número de vagas) em fevereiro, ampliando a preocupação de que a recessão seja iminente ou já tenha começado. A Casa Branca não está prevendo recessão, mas admitiu que o crescimento no primeiro trimestre vai desacelerar significativamente e possivelmente se contrair. Ecoando os comentários de sua equipe econômica, Bush disse que o impacto positivo do pacote de estímulo de US$ 152 bilhões aprovado no ano passado está apenas começando a ser sentido. Ele disse que o investimento das empresas, estimulado pelo pacote, deve continuar a crescer, e o cheque com a restituição de impostos deverá chegar aos consumidores em maio. "Esperamos que eles o usem em gastos com consumo e isso vai impulsionar a criação de empregos também", disse Bush. Os dados de hoje, no entanto, provocaram pedidos para que o Congresso adote mais medidas para reativar a economia e os Democratas responsabilizaram o governo Bush pelo crescimento anêmico e a perda no emprego. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.