Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bush diz que déficits são um problema e defende redução

O presidente dos EUA, George W. Bush, afirmou que os déficits orçamentários norte-americanos de curto e longo prazos são "um problema" e disse que a tomada de ações para reduzir esses déficits vai estimular a confiança dos mercados financeiros. Os comentários de Bush marcam uma mudança na retórica de seu governo. Anteriormente, representantes da administração haviam dito que os déficits são incômodos, mas simplesmente não são prioridade. O vice-presidente, Dick Cheney, declarou no passado que a lição de Reagan era de que os déficits orçamentários não eram um problema. As afirmações de Bush vêm após o déficit no orçamento federal ter atingido o recorde de US$ 412 bilhões neste ano fiscal, em dólares em termos absolutos. Não foi um recorde, entretanto, em termos de porcentagem do PIB. Para resolver os problemas fiscais do país, Bush prometeu encaminhar um orçamento para o ano fiscal de 2006 "apertado", que vai conter a maior parte das formas de gastos discricionários. Além disso, ele vai reformular a seguridade social. "Ao fazer isso, nós vamos mandar uma mensagem não apenas para os cidadãos norte-americanos de que estamos aqui pelo motivo certo, como também iremos mandar uma mensagem para os mercados financeiros de que reconhecemos que temos um problema de déficits de curto e longo prazos entre as obrigações não financiadas e os programas", disse Bush. O presidente dos EUA fez seus comentários em um painel de discussões sobre os problemas fiscais, no segundo dia de uma conferência econômica de dois dias promovida pela Casa Branca. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2004 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.