Bush diz que economia dos EUA é a "inveja do mundo"

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ressaltou neste sábado que a economia americana é "a inveja do mundo", graças às políticas que sua administração iniciou para favorecer o crescimento e conter os gastos públicos.Os dados demonstram que se mantém um forte crescimento econômico e que o país está reduzindo "o déficit fiscal mais rápido que o previsto", disse o presidente em seu habitual discurso radiofônico dos sábados.Se a atual política econômica for mantida, "nossa economia continuará sendo a inveja do mundo", assegurou Bush, que está na cidade russa de São Petersburgo para participar da cúpula do G8, o grupo dos sete países mais desenvolvidos do mundo mais a Rússia."Quando a economia cresce, as empresas crescem, o povo ganha mais dinheiro e paga impostos por seus novos ingressos", acrescentou.O presidente lembrou os dados publicados esta semana pelo Escritório de Orçamentos da Casa Branca, que reduzem em mais de US$ 100 bilhões sua previsão de déficit orçamentário para o atual ano fiscal, que termina em 30 de setembro.Washington tinha anunciado em fevereiro que as dívidas públicas chegariam a US$ 423 bilhões este ano e, segundo as previsões divulgadas na terça-feira pelo escritório orçamentário, o número ficará situado em US$ 296 bilhões."Esta boa notícia não ocorre por acidente", segundo Bush, que acrescentou que é o resultado do trabalho dos americanos e das políticas econômicas e fiscais que o Governo iniciou quando ele assumiu a Presidência em 2001.Se forem mantidos o atual ritmo de crescimento e a contenção sobre o gasto público, "criaremos mais postos de trabalho e oportunidades para todos os cidadãos", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.