Bush e Brown indicam 'progresso' em cúpula do G-20

Líderes se mostraram confiantes em que os países chegarão a um consenso na reunião deste sábado

EFE

15 de novembro de 2008 | 12h32

residente dos Estados Unidos,George W. Bush, e o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disseram neste sábado, 15,  que os líderes do G-20, que reúne ospaíses mais ricos e os principais emergentes, "fizeram progressos"em suas conversas prévias à cúpula, e se mostraram confiantes em que os países chegarão a um consenso final.     Veja também: Manifestantes se reúnem na Indonésia contra o G-20 Ativistas protestam contra o G-20 em Washington Entenda o que está em jogo na reunião do G20 Como foi a reunião do G-20 no Brasil De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise      Ao chegarem ao Museu Nacional da Construção (NBM, em inglês), onde acontecerão  as sessões plenárias da cúpula, Bush disse que os líderes estão se aproximando de um acordo sobre como detectar investimentos arriscados e pontos fracos no sistema de regulação.   Brown, que chegou minutos depois e foi recebido com um sorriso e um aperto de mãos por Bush, disse que os líderes estão avançando na Cúpula.   O primeiro-ministro do Reino Unido disse que as negociações entre os líderes do G20 são difíceis, mas se mostrou esperançoso de poder convencê-los sobre a necessidade de chegar no final do dia a um acordo sobre medidas concretas.   Brown não revelou que tipo de progressos foi feito, mas afirmou que os países do G20 provavelmente decidirão reformar as instituições financeiras em um prazo de alguns meses.   Os planos concretos sobre as reformas serão esboçados em outra reunião no próximo ano, afirmou.     O premiê britânico também disse que os países poderiam fixar uma data limite sobre as estagnadas negociações para a liberalização do comércio mundial, em referência à Rodada do Desenvolvimento de Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC).   Já o presidente americano advertiu que, apesar dos progressos que os líderes do G20 possam fazer, a "crise ainda não passou" e que todos "têm muito trabalho pela frente".   Bush disse que quer trabalhar com os outros líderes para definir uma solução sobre como enfrentar a crise e evitar outras no futuro. O presidente dos Estados Unidos chegou por volta das 8h (11h de Brasília) ao NBM, onde está, neste momento, recebendo pessoalmente os líderes do G20.   Os países mais ricos e emergentes avaliarão hoje o sistema financeiro internacional e colocarão as bases para uma futura Reforma.   Texto atualizado às 13h20

Tudo o que sabemos sobre:
G-20crise internacionalcrise dos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.