Bush pode expandir ajuda para pagamentos de hipotecas

O presidente norte-americano, GeorgeW. Bush, disse no sábado que pretende ampliar os esforços paraajudar aqueles que estejam com problemas para reduzir opagamento de suas hipotecas, à medida que os democrataspressionam o governo federal a assumir um papel maissingificativo no atual cenário. Bush disse que, desde o lançamento em agosto do anopassado, cerca de 130 mil proprietários utilizaram o programada Administração Federal da Moradias (FHA, na sigla em inglês)para refinanciar as hipotecas que não conseguem pagar. "É um bom começo e a minha administração se compromete aavançar nisso", disse Bush em seu programa semanal de rádio."Então, estamos explorando as maneiras pelas quais esteprograma pode ajudar compradores de casas mais qualificados". Bush disse que 300 mil proprietários devem utilizar oprograma até o final deste ano --mais do que as estimativasiniciais da FHA, que previa a adesão de 240 mil proprietários. De acordo com o site Economy.com, da Moody's, esta é apenasuma fração dos 10,3 por cento de proprietários que devem maisque o valor total de suas casas. Estas pessoas formam cerca de8,8 milhões. A crise das hipotecas desencadeou uma crise de créditoainda maior, que ameaça levar a economia a uma grande recessão. O programa é destinado aos proprietários com dificuldadespara pagar hipotecas com taxas de juros ajustáveis, queresultam em taxas mais altas. Os democratas no Congresso pedem um papel mais direto parao governo norte-americano. A administração Bush e osrepublicanos do Congresso têm resistido. Tanto os democratas no Senado quanto na Câmara dosDeputados estão articulando um conjunto de leis que permitiriaque a FHA oferecesse mais 300 bilhões de dólares em novasgarantias para refinanciar as hipotecas que bancos e os donosde hipotecas concordarem em depreciar. O Washington Post noticiou neste sábado que aadministração Bush está finalizando um plano para socorrermilhares de proprietários que estão diante da possibilidade deexecução hipotecária ajudando-os a refinanciar os empréstimosem condições mais favoráveis, garantidos por recursos públicos. (Por Andy Sullivan) REUTERS MR

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.