Bush quer pacote de US$140 bi para economia

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, propôs nesta sexta-feira um pacote de reduçãode impostos e outras medidas no valor total de cerca de 140bilhões de dólares com o objetivo de estimular a fragilizadaeconomia dos Estados Unidos. "Esse pacote de crescimento precisa ser construído sobre umalívio tributário amplo que influencie diretamente a expansãoda economia, e não sobre projetos envolvendo gastos, que teriampequeno impacto imediato sobre nossa economia", disse Bush arepórteres na Casa Branca. "Esse pacote de crescimento precisa ser temporário erapidamente efetivo, para que possamos ajudar nossa economiaquando ela mais precisa", acrescentou. Em meio a relatórios sombrios sobre as vendas do varejo ecom outros números sugerindo a possibilidade de uma recessão,Bush e o Congresso de maioria democrata negociam para tentarchegar a um consenso em torno de um plano para estimular ocrescimento. Algumas medidas consideradas são o abatimento de impostos,incentivos às empresas e ampliação do seguro-desemprego. Os dois lados ainda estão sensíveis às duras batalhas doano anterior sobre o orçamento, a assistência médica e a guerrado Iraque. Mas há um consenso de que a economia, atingida porcrises nos setores imobiliário e de crédito e pela alta dopetróleo, precisa ser socorrida. O presidente afirmou que o pacote deve ser equivalente acerca de 1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EstadosUnidos. Com a economia norte-americana valendo atualmente 14trilhões de dólares, isso equivale a cerca de 140 bilhões dedólares. O debate sobre um pacote de ajuda chegou à campanhapresidencial, com eleições marcadas para 4 de novembro. Todos os três principais candidatos democratas --senadoraHillary Clinton, senador Barack Obama e ex-senador JohnEdwards-- apresentaram planos baseados em aumento dos gastos ecorte de impostos. O senador republicano John McCain expôs uma proposta deredução dos impostos corporativos e de incentivo às companhiaspara que invistam em novos equipamentos e pesquisa. Um de seusprincipais concorrentes no partido, o ex-governador deMassachusetts Mitt Romney, também se prepara para apresentar umplano. (Reportagem adicional de Jeremy Pelofsky e GlennSommerville)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.