Bush se compromete contra quebra de montadoras, diz Paulson

Secretário dos EUA disse que, como o Congresso não agiu, presidente quer tomar medidas para evitar falência

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

19 de dezembro de 2008 | 10h03

O presidente dos EUA, George W. Bush, está comprometido em evitar uma falência das grandes montadoras do país, disse na noite da última quinta-feira, 18, o secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson. Segundo ele, o presidente pretende "colocar as empresas no caminho para a viabilidade". Em conversa com o editor-chefe da BusinessWeek, Stephen Adler, durante o fórum Capitães da Indústria, o secretário disse que, como o Congresso não agiu, o presidente quer tomar medidas para evitar uma falência.   Veja também: GM e Chrysler podem pegar empréstimos do governo Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    "A falência de uma série de empresas nesta indústria não seria útil", disse ele. Paulson afirmou que, embora acredite que o pacote de resgate, conhecido como Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp), tenha sido criado com foco exclusivo no sistema financeiro, permitir que as montadoras quebrem seria "um risco imprudente a se tomar".    "Se a conseqüência certa for uma reorganização ou concordata, não é melhor chegar lá por meio de um processo ordenado onde todo esforço é feito para evitar isso e, se não for evitado, todos estão preparados para isso?", questionou Paulson. Segundo ele, qualquer coisa que seja feita precisa ser um passo no caminho para a viabilidade de longo prazo das montadoras, e isso é difícil de alcançar em um período curto de tempo, antes deste governo acabar. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.