Caça a pechinchas em NY leva Bovespa a reduzir queda no final

A Bovespa engatou, ontem, mais um dia de perdas, que só não foram maiores porque no período da tarde os índices acionários nos Estados Unidos melhoraram em meio a uma caça a pechinchas. Com isso, o Ibovespa recuou 1,22%, aos 59.184,08 pontos, recuperando parte da queda que chegou a 3,40% no pior momento. No mês, recua 12,36% e, no ano, 13,71%. Em Nova York, o Índice Dow Jones caiu 0,23% e o Nasdaq, 0,12%. As preocupações com a delicada situação da zona do euro ganharam reforço do aumento da tensão entre as Coreias do Norte e do Sul, depois da informação de que o líder norte-coreano Kim Jong-il teria colocado suas tropas de prontidão, preparadas para atacar o sul, se necessário. A tensão começou porque uma investigação teria constatado que um navio sul-coreano foi afundado pelos vizinhos do norte, o que levou Seul a suspender o comércio com os norte-coreanos e afirmar que vai buscar punição para eles. A Coreia do Norte nega envolvimento no afundamento do navio.

Cenário: Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2010 | 00h00

Na Europa, depois de o governo de Madri ter assumido no fim de semana o controle da instituição CajaSur, quatro outras instituições de poupança assinaram um protocolo de intenções para fundir suas operações. O objetivo é promover um rearranjo do setor, mas a informação inquietou os investidores, Hoje, a Comissão Europeia deve propor a exigência de que os governos do bloco criem fundos para crises bancárias.

O dólar à vista subiu 0,21%, a R$ 1,8680 - maior valor desde 8 de fevereiro -, mas chegou a saltar até R$ 1,9030 (+2,09%) pela manhã. No fim da tarde, em Nova York, o euro cedia a US$ 1,2328, de US$ 1,2383 na 2ª feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.