Cacau recua em NY com chance de chuva na África Ocidental

Cenário:

ANGELO IKEDA, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2013 | 02h12

A possibilidade de chuvas benéficas em regiões produtoras de cacau da África Ocidental derrubou os preços futuros da commodity ontem na Bolsa de Nova York. O contrato com vencimento em dezembro teve queda de 1,7% e fechou a US$ 2.436 por tonelada. Segundo alguns analistas, muitos investidores decidiram se desfazer de suas apostas na alta das cotações para reduzir riscos, já que na segunda-feira os mercados norte-americanos não abrem devido ao feriado do Dia dos Trabalho nos Estados Unidos.

O algodão interrompeu uma sequência de três sessões de queda e fechou em alta de 0,3%. Durante o pregão de ontem, os preços atingiram o nível mais baixo em 12 semanas e isso acabou atraindo compradores. O movimento sustentou os contratos. Especialistas observaram, porém, que a colheita em diversos países do Hemisfério Norte em setembro e outubro deve pressionar um pouco mais as cotações. O café arábica caiu 1,15%, mais uma vez influenciado pela fraqueza do real ante o dólar e pela expectativa de uma safra grande no Brasil.

Na Bolsa de Chicago, os contratos de soja recuaram 0,8%, com a previsão de chuvas esparsas em parte da região produtora dos EUA, que vem sofrendo com o clima quente e seco nas últimas semanas. Participantes acreditam que, com a umidade, o potencial produtivo estará assegurado em algumas áreas. Os futuros do milho subiram 0,1%, com sinais de que a oferta do grão nos EUA deve continuar abaixo da demanda no curto prazo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.