Cacciola é solto no Rio após obter liberdade condicional

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro divulgou nota nesta tarde, informando que o ex-banqueiro Salvatore Alberto Cacciola, de 67 anos, custodiado no Instituto Penal Plácido Sá Carvalho, deixou a unidade. Ele não foi visto, no entanto, por jornalistas que aguardavam em frente ao complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio.

SABRINA VALLE, Agencia Estado

25 de agosto de 2011 | 17h28

A Justiça do Rio de Janeiro concedeu na terça-feira a liberdade condicional ao ex-banqueiro, condenado a 13 anos de prisão pelos crimes de gestão fraudulenta e desvio de dinheiro público. O livramento foi assinado pela juíza Natascha Maculan Adum Dazzi. Em julho, a pena do ex-banqueiro foi reduzida em um quarto, por decisão da juíza Roberta Barrouin Carvalho, da Vara de Execuções Penais. Com a redução, o ex-dono do Banco Marka já teria cumprido um terço de sua pena, o que abriu caminho para pedido de livramento condicional, regime no qual ele cumpriria em liberdade o restante de sua condenação.

Histórico

Dono do Banco Marka, Cacciola foi condenado em 2005 a 13 anos de prisão pela prática de crimes contra o sistema financeiro. De acordo com o processo, ele teria coordenado uma operação de socorro irregular do Banco Central que teria provocado um prejuízo de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos.

Preso preventivamente em 2000, Cacciola se beneficiou de um habeas corpus para ir para a Itália, onde tem cidadania, e de onde não voltou mais, mesmo tendo a prisão decretada novamente. Em 2008, viajou para o Principado de Mônaco para assistir a um campeonato de tênis, onde voltou a ser preso e foi extraditado para o Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãoCacciolaliberdadeBanco Marka

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.