Cade aceita rever veto da compra da Garoto pela Nestlé

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) acaba de aceitar o pedido da Nestlé para que seja revista a decisão do próprio Conselho de vetar a compra a Companhia de Chocolates Garoto, do Espírito Santo, pela multinacional suíça Nestlé. A votação ficou empatada por três votos a três, mas foi decidida pelo voto do presidente do conselho, João Grandino Rodas. O CADE está julgando o mérito do processo, oportunidade em que deverá decidir quais fatias do mercado a Nestlé deverá deixar para seus concorrentes.Na votação do pedido de revisão, o relator, conselheiro Thompson Andrade, posicionou-se contra, sendo acompanhado pelos conselheiros Cleveland Prates e Roberto Pfeiffer. O conselheiro Fernando Marques foi o primeiro a discordar do voto do relator, admitindo a revisão da decisão, tese que foi compartilhada pelos conselheiros Luiz Alberto Scaloppe e João Grandino Rodas, na qualidade de conselheiro. E foi o próprio Rodas que acabou desempatando a votação ao votar outra vez, desta feita como presidente do conselho, dando o chamado "voto de qualidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.