Cade adia julgamento da compra da Varig pela Gol

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) resolveu adiar o julgamento da operação de compra da companhia aérea Varig pela Gol por falta de quórum mínimo. A operação, ocorrida em abril do ano passado, estava na pauta de julgamentos da sessão do plenário de amanhã. A assessoria de imprensa do órgão informou que a presidente do Cade, Elizabeth Farina, está impedida de julgar este caso, e o conselheiro Fernando Furlan está licenciado devido a um acidente sofrido no fim de semana. Elizabeth é casada com Laércio Farina, que advoga na área de fusões e tem como cliente a companhia aérea TAM.Como o novo conselheiro Enéas de Souza, já aprovado pelo Senado, ainda não tomou posse e não poderá participar da sessão de amanhã, só restarão quatro conselheiros para votação do processo. Pela legislação antitruste, no entanto, qualquer julgamento só pode ser feito por no mínimo cinco conselheiros. Entretanto, uma nova data para o julgamento do caso não foi marcada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.