Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Cade aprova aquisição do tradicional frigorífico Marba pela JBS

Empresa conhecida no mercado de embutidos e mortadelas será integrada à Seara, uma das subsidiárias do conglomerado

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2019 | 09h42

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a aquisição da tradicional empresa de embutidos Marba pela JBS. O despacho pela aprovação foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) da última quarta-feira, 5.

Segundo informações disponibilizadas pelo Cade, com a operação, a Seara - uma das principais subsidiárias da JBS - vai adquirir a totalidade do capital social do Marba. Assim, a operação consiste em aquisição de controle e abrange todas as atividades da Marba.

Nos documentos enviados ao Cade, a Marba justificou que a operação está alinhada com a opção de desinvestimento da família de acionistas da empresa.

A JBS argumentou que a aquisição representa oportunidade de ampliação do portfólio de marcas e de produtos de valor agregado, pois a Seara atua com a distribuição de proteínas de aves e suína nos segmentos de carne e de outros produtos alimentícios.

O Cade verificou que a participação e mercado para a Seara será superior a 20% com a aquisição da Marba, mas o órgão não viu indícios de concentração de mercado ou diminuição de competitividade com outras empresas que atuam no mesmo setor.

A aquisição havia sido anunciada no último mês de novembro. Com faturamento anual de cerca de R$ 350 milhões, a Marba é uma das marcas mais tradicionais no segmento de frios e embutidos e referência no segmento de mortadelas no Estado de São Paulo, disse a JBS em comunicado.

"Apesar de pequena, a aquisição está em linha com a estratégia da JBS de ampliar a participação de produtos de maior valor agregado e de marcas em seu portfólio, o que vemos como positivo", destacou a XP Investimentos, em relatório. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.