Rebecca Cook/Reuters
Rebecca Cook/Reuters

Cade rejeita proposta de revisão e aprova em definitivo Stellantis, fusão da Fiat com Peugeot

Anunciado em outubro de 2019, negócio foi avaliado em US$ 50 bilhões e vai criar o quarto maior grupo automotivo do mundo, atrás de Volkswagen, Renault-Nissan e Toyota

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2020 | 20h25

BRASÍLIA - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou nesta quarta-feira, 9, proposta de reanálise da fusão Fiat Chrysler e Peugeot e, com isso, aprovou em definitivo a operação. Anunciado em outubro do ano passado, o negócio foi avaliado em US$ 50 bilhões.

No início de novembro, a superintendência-geral do Cade havia aprovado a operação sem restrições. A superintendência-geral pode aprovar operações que considera que não representam risco à concorrência sem que o negócio tenha que passar pelo tribunal do órgão.

Os conselheiros, porém, podem pedir a avocação do processo para o tribunal, o que reabre a análise do caso. Foi o que fez a conselheira Lenisa Prado hoje, ao apresentar o pedido de avocação. A maioria do tribunal, no entanto, decidiu que a reanálise não era necessária e rejeitou o pedido, o que significa que a operação foi aprovada definitivamente.

Após o fechamento da operação a Peugeot deixará de existir de modo isolado e a Fiat Chrysler será a entidade sobrevivente, que será denominada Stellantis.

As duas empresas disseram ao Cade que a Stellantis será o quarto maior grupo automotivo do mundo, atrás da Volkswagen, Renault-Nissan e Toyota, em termos de volume de vendas. As companhias informaram ainda que a sede do novo grupo ficará na Holanda, mas a listagem de ações continuará nas bolsas de Paris, Milão e Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.