Cade retoma na 4a julgamento de caso sobre suspeita de cartel do cimento

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) retoma na próxima quarta-feira o julgamento do caso da suspeita de cartel no mercado de cimento, mais de quatro meses depois do pedido de vista do conselheiro Márcio de Oliveira Júnior.

Reuters

26 de maio de 2014 | 16h46

Em janeiro, o voto do relator do caso, conselheiro Alessandro Octaviani, previu multa recorde de mais de 3 bilhões de reais contra as maiores cimenteiras do Brasil, bem como determinou a venda de ativos para estimular novos concorrentes.

Na ocasião, o conselheiro Oliveira Júnior pediu vista, mas os outros três conselheiros então votantes anteciparam suas decisões concordando com a condenação do grupo de empresas formado por Votorantim Cimentos, Holcim, Cimpor e InterCement (do grupo Camargo Corrêa), Itabira Agro Industrial e Companhia de Cimentos Itambé.

Mesmo assim, ainda não há decisão final, já que as manifestações de voto podem mudar quando Oliveira Júnior trouxer, na próxima quarta-feira, seu voto-vista ao plenário do Conselho.

Desde o pedido de vista do conselheiro o mercado mundial de cimentos foi agitado pelo anúncio da fusão entre as europeias Holcim e Lafarge.

As empresas anunciaram o acordo no início de abril, em uma operação que criará um grupo avaliado em cerca de 60 bilhões de dólares e que no Brasil formará a terceira maior produtora de cimento do país.

(Por Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASCIMENTEIRASCADE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.