finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Caem os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA

O número de norte-americanos que deram entrada a pedidos iniciais de auxílio-desemprego caiu mais do que o esperado na semana passada. O declínio do número de solicitações foi o primeiro em um mês. O Departamento do Trabalho informou que o número de pedidos caiu em 29 mil, para 399 mil, na semana encerrada em 13 de setembro. O declínio superou a queda de 12 mil projetada por 13 economistas consultados pela Dow Jones Newswires. A média da quadrissemana, que ameniza os efeitos sazonais, subiu em 2 mil, para 410.750. Os economistas tomam o nível de 400 mil como referencial de um divisor de águas entre um cenário de expansão ou contração do mercado de trabalho. Um número de pedidos iniciais acima dessa fronteira sugere um mercado de trabalho deprimido. O departamento informou que o número de pedidos contínuos subiu em 39 mil, para 3.683.000 na semana encerrada em 6 de setembro - último dado disponível. O departamento, como sempre faz, revisou o dado de pedidos iniciais da semana encerrada em 6 de setembro, elevando o número em 6 mil, para 428 mil pedidos. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

18 de setembro de 2003 | 10h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.