Caem os preços dos hortifrutigranjeiros

O consumidor de São Paulo voltou a encontrar verduras, frutas e legumes a preços mais próximos dos que pagava antes que as geadas atingissem as plantações, ocasionando os aumentos registrados nas duas últimas semanas. Segundo o levantamento semanal realizado pelo InformEstado, o aumento do preço dos hortifrutigranjeiros caiu de 11,54% na semana passada para 1,21% nos supermercados. Nas feiras livres, houve queda de 3,24% nesta semana, ante uma alta de 8,82% na semana passada.A recuperação atingiu principalmente o preço das verduras que, na feira, mostraram queda de 11,56% nos últimos sete dias. O pé de alface lisa ficou 14,29% mais barato e o quilo do tomate, 14,41%. Os ovos subiram 9,62%. Nas gôndolas dos supermercados, onde os estoques são mantidos por um período maior, a tendência é de que as hortaliças registrem valores menores do que os atuais na próxima semana.Ainda nos supermercados, em média, o preço dos mais de 70 produtos avaliados pelo InformEstado manteve a trajetória de queda esta semana (-0,58%). Na soma dos 32 itens comuns encontrados nos 15 pontos-de-venda pesquisados, o Andorinha foi o que apresentou o menor valor (R$ 56,11) e o Mambo, o maior (R$ 66,53). O Bergamini registrou a maior quantidade de produtos mais baratos.Cesta básica da semana registrou alta de 1,34%Nesta semana, o valor da cesta básica apurado pelo Procon-SP/Dieese registrou alta de 1,34% e passou para o preço médio de R$ 136,48. Nos últimos 30 dias, a variação acumulada é de 3,8%. Os produtos que mais contribuíram com o aumento foram a carne de segunda sem osso (que subiu 6,55%), o feijão carioquinha (9,28%), o frango resfriado inteiro (4,08%) e os ovos brancos (5,04%). A alta dos ovos deve-se à redução no alojamento das aves de postura, conseqüência do desempenho reduzido do setor no primeiro semestre. A lingüiça fresca e a salsicha também subiram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.