Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Café devolve ganhos da terça e fecha em forte baixa

Cenário: Filipe Domingues

O Estado de S.Paulo

30 de março de 2012 | 03h07

Depois da forte valorização da terça-feira, os preços do café caíram ontem na Bolsa de Nova York. Participantes do mercado venderam para embolsar lucros e derrubaram as cotações. Os contratos do café para entrega em maio fecharam em baixa de 3,05%, cotados a 176,45 centavos de dólar por libra-peso. Alguns analistas acreditam que os preços podem cair ainda mais, pois a safra do Brasil, maior produtor mundial de café, deve ser volumosa, totalizando cerca de 55 milhões de sacas. O analista Jack Scoville, da corretora Price Futures, afirmou à agência Dow Jones que espera ver uma queda dos preços até 171 cents/lb. Entretanto, ele acredita que não há motivos para que os preços permaneçam baixos por um longo período, já que boa parte do café produzido no País será consumida internamente e, portanto, não chegará ao mercado internacional. Deste modo, a oferta global será limitada.

Um movimento de realização de lucros também empurrou para baixo os preços do algodão em Nova York, que cedeu 0,52%. Vendas de especuladores e fundos de investimento foram as principais responsáveis. Já o açúcar teve alta na quinta-feira, pois o clima seco e a queda de produtividade das lavouras do Brasil levam a crer que a produção será menor. Além disso, espera-se atraso de até 30 dias na colheita. Com isso, o produto fechou em alta de 1,40%.

Em Chicago, soja, milho e trigo também caíram. Investidores ajustam suas posições antes de receberem dados de plantio e estoques do governo americano, que serão divulgados hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.