Café dispara 3,40% em Nova York

O mercado de café andou na contramão das demais commodities ontem ao disparar 3,40% e fechar em 245 centavos de dólar por libra-peso na Bolsa de N Y. Após três quedas consecutivas, compradores viram uma oportunidade de voltar à ativa para aproveitar os preços um pouco menos salgados. A forte valorização do grão, que acumula alta de 73% nos últimos 12 meses, tem prejudicado as margens de lucro de empresas de alimentos e redes de cafeterias. Na semana passada, a norte-americana Starbucks creditou a disparada das cotações à especulação financeira. ''Acompanho esse mercado há 30 anos e nunca os preços ficaram tanto tempo em níveis como os atuais sem que algum tipo de catástrofe tivesse acontecido'', disse o executivo-chefe da companhia, Howard Schultz, ao "The Wall Street Journal". A Sara Lee Corp. também reclamou dos valores praticados no mercado, muito além do que a empresa tinha previsto.

Análise: Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2011 | 00h00

Enquanto isso, outras commodities agrícolas foram pressionadas pela valorização do dólar ante outras moedas, efeito dos violentos protestos que ocorreram no Egito. Os preços do algodão caíram 2,74% em NY, acompanhados pelos do açúcar (-0,73%), suco de laranja (-0,90%) e cacau (-2,32%). Na Bolsa de Chicago, as cotações dos grãos também cederam. O contrato da soja para março recuou 0,11%; o do milho perdeu 1,04% e o do trigo perdeu 2,23%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.