Café sobe 3% em NY com geada no Brasil

A forte queda das temperaturas em várias regiões no Brasil na madrugada de terça-feira fez disparar os preços do café nas bolsas de Londres e de Nova York, diante da possibilidade de perdas provocadas pelas geadas. Como a produção brasileira 2011/12 será menor por causa da característica bienal da cultura, qualquer ameaça mexe com as cotações internacionais. Houve relatos de geadas no sul de Minas Gerais e no interior do Paraná, mas sem confirmação de danos. O País é o maior exportador mundial do grão.

Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

Em Nova York, o contrato setembro do arábica subiu 3,13%, para 258,90 centavos de dólar por libra-peso. Em Londres, o mesmo vencimento do robusta avançou 4,75%, para US$ 2.490 por tonelada. As bolsas internacionais de café sobem desde segunda-feira, quando o Vietnã, segundo maior exportador mundial, estimou que suas exportações deverão cair para 80 mil toneladas em junho, ante 95 mil toneladas no mesmo período do ano passado. Em maio, o país exportou 98 mil t, volume bem menor que as 126 mil t previstas pelo governo.

Na Bolsa de Chicago, o preço do milho também disparou - 4,0%, para US$ 6,70 por bushel - por causa da queda da qualidade das lavouras nos Estados Unidos. A Cargill, maior companhia de agribusiness do país, estimou que um milhão de hectares de milho foram perdidos nas enchentes dos últimos dias, segundo o Financial Times.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.