Caged aponta desaceleração no ritmo de geração de empregos

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, disse hoje que houve uma desaceleração no ritmo de geração de empregos formais em fevereiro. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje por Berzoini, o número de empregos formais criados superou o de demissões em 73.285 novos postos de trabalho, resultado inferior em 36,9% aos 114.972 de janeiro de 2005. Em fevereiro do ano passado, foram criados 138.074 novos empregos formais. "Os números do Caged não refletem a dinâmica verificada no ano passado", disse o ministro.Para o ministro, o resultado ruim do Caged reflete um comportamento sazonal (com efeitos temporais) já que em três estados do Nordeste - Alagoas, Pernambuco e Paraíba - houve uma antecipação do fim do ciclo da cana-de-açúcar, o que, segundo o ministro, afetou negativamente a oferta de empregos formais.Ele disse também que o calendário afeta a decisão dos empresários de contratação definitiva. O seu raciocínio é de que quanto mais perto das festas de fim de ano o Carnaval ocorre, mais tarde o empresário toma a decisão de contratação definitiva. Este ano, por exemplo, o Carnaval ocorreu no início de fevereiro, mês em que houve uma redução na criação dos empregos formais. No ano passado, o Carnaval ocorreu no final de fevereiro.Ele alega também que, neste ano, o mês de fevereiro teve um menor número de dias úteis que o do ano passado. Além disso, lembrou que a economia no ano passado estava muito mais aquecida que este ano. Outra explicação do ministro, referente apenas aos setores de calçados e têxteis, seria a influência da taxa de câmbio nas exportações desses setores. "É bom o governo olhar com atenção esses números, apesar de que teremos uma certeza sobre a tendência somente a partir de março e abril".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.