finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Caged aponta sinais de desaceleração na criação de empregos

A criação de empregos formais na economia registrou, em junho, o segundo melhor resultado da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Demitidos (Caged), mantido pelo Ministério do Trabalho. O saldo líquido do emprego formal (com carteira assinada) em junho foi de 195.536 postos de trabalho. Embora positiva, a geração de empregos foi menor do que em junho do ano passado, quando foram criadas 207.895 vagas. Os números foram divulgados hoje pelo ministro do Trabalho, Luiz Marinho.Pelos dados do Caged, a geração de empregos nos primeiros seis meses de 2005 já chegou a 966.303 postos de trabalho. No mesmo período do ano passado, haviam sido criados 1.034.656 empregos. Segundo o ministro, a economia está em crescimento e gerando empregos. Ele admitiu, no entanto, que está acontecendo no momento uma desaceleração.Marinho disse que os sinais daqui para a frente são de retomada do crescimento. Isso porque os juros pararam de subir e, com isso, será possível, segundo ele, um movimento de recuperação da taxa de câmbio - o que voltará a estimular os setores ligados à exportação, justamente aqueles onde está sendo registrada maior desaceleração do emprego.Marinho também reiterou que a meta do governo é gerar em média 100 mil empregos a cada mês até o fim do mandato do presidente Lula.

Agencia Estado,

19 de julho de 2005 | 12h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.