Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Cai acordo com argentinos sobre máquinas de lavar roupa

As negociações entre os empresários brasileiros e argentinos do setor de máquinas de lavar roupa se complicaram novamente. Embora o lado argentino tivesse adiantado que o acordo havia sido fechado, ontem à noite, os empresários saíram da reunião com um passo atrás.Segundo fontes argentinas, os negociadores haviam fechado um acordo para 2005 que repartia o mercado argentino de máquinas de lavar roupas da seguinte forma: 35% para os produtos fabricados no Brasil; 54% para a fabricação local; e 11% para importações de terceiros mercados. No entanto, segundo as fontes, os brasileiros querem uma fatia maior desse mercado: 50%. A outra metade ficaria dividida entre 45% para os produtos argentinos e 5% para terceiros mercados.A proposta do Brasil é justificada por uma fonte pelo fato de que a Argentina não teria capacidade para abastecer 54% do mercado interno e essa deficiência acabaria sendo abastecida por terceiros mercados, os quais ganhariam mais mercado em detrimento da perda brasileira de espaço.Nos primeiros cinco meses desse ano, a participação do Brasil no mercado local de máquinas de lavar era de 49%. Mas esse número caiu para 36,4% a partir de junho, quando a Argentina decidiu adotar barreiras (licenças não automáticas) contra o produto brasileiro. Desde que os produtos brasileiros foram afetados pelas barreiras protecionistas argentinas, a participação de países fora do Mercosul no mercado argentino tem sido de 14%.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.