André Dusek/Estadão - 9/1/2018
André Dusek/Estadão - 9/1/2018

Caixa anuncia redução de até 45% nos juros e suspende até duas parcelas no pagamento de empréstimos

Medida tenta amenizar efeitos da crise do coronavírus; Caixa também liberou linha de crédito para Santas Casas e Hospitais Filantrópicos que prestam serviço ao SUS

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 10h07
Atualizado 19 de março de 2020 | 11h55

BRASÍLIA - Numa ofensiva para mitigar o impacto da pandemia do novo coronavírus na economia brasileira, a Caixa Econômica Federal anunciou um pacote de medidas de redução das taxas de juros, pausa de pagamentos dos empréstimos e linhas de crédito facilitadas para empresas do comércio e serviços. 

O banco reduziu novamente as taxas de juros de linhas de crédito e ofereceu uma pausa por até 60 dias para contratos de pessoa física e jurídica, inclusive contratos habitacionais.

A Caixa também liberou uma linha de crédito de R$ 3 bilhões para Santas Casas e Hospitais Filantrópicos que prestam serviço ao SUS, para reestruturação de dívidas e também dinheiro novo.

O pacote do banco estatal também disponibiliza gratuitamente cartão virtual de débito Caixa aos mais de 100 milhões de correntistas e poupadores para compras online nos sites de e-commerce de forma prática e segura. 

A Caixa cortou em até 45% os juros das linhas de crédito para apoio às micro e pequenas empresas. As operações terão taxas a partir de 0,57% ao mês.  As pessoas físicas poderão interromper por até dois meses o pagamento de empréstimos de operações parceladas de crédito pessoal. Para os contratos habitacionais de pessoa física, os clientes poderão solicitar a pausa estendida de até duas prestações pelo aplicativo.

“Vamos sempre reagir rápido e nos anteciparemo. Também analisaremos rápido os pedidos de crédito”, afirmou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, em transmissão pela internet. Segundo ele, o foco da Caixa nesse momento é ação para micros e pequenas empresas e também no apoio para segmento hospitalar. Na crise contra o coronavírus, a oferta de crédito no banco estatal foi incrementada em R$ 78 bilhões.

Ele destacou também as mudanças aprovadas no crédito consignado do INSS, o que aumenta a liberação de recursos na economia.

O presidente da Caixa disse que conversou com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (BC), para permitir ampliar a “pausa” no pagamento dos empréstimos pelos clientes do banco. “Temos a maior base de capital e dinheiro para emprestar”, afirmou. “Não queremos que Caixa tenha algum problema. Estamos tranquilos”, completou.

Pedro Guimarães recomendou que os clientes evitem irem até agências do banco e utilizem o seus canais digitais, internet banking, aplicativo do banco e terminais de autoatendimento.

O presidente do banco estatal destacou que a ajuda que o governo vai dar de R$ 200 para os trabalhadores informais, anunciada ontem pelo governo, deverá ser majoritariamente paga pela Caixa.  

Veja as medidas 

Pessoas Físicas:

  • Possibilidade de pausa de até 60 dias nas operações parceladas de crédito pessoal
  • Ampliação das linhas de crédito consignado, incluindo as linhas para aposentados e pensionistas do INSS com as melhores taxas do mercado
  • Redução de taxa de juros nas linhas de crédito pessoal (crédito consignado a partir de 0,99% a.m., penhor a partir de 1,99% a.m. e CDC a partir de 2,17% a.m.
  • Disponibilização gratuita do cartão virtual de débito Caixa aos mais de 100 milhões de correntistas e poupadores, que possibilita compras online nos sites de e-commerce de forma prática e segura. O cliente pode habilitar o uso do cartão diretamente no Internet Banking CAIXA
  • Renovação do contrato de penhor diretamente no site da CAIXA e canal Telesserviço, evitando a necessidade de o cliente comparecer à uma agência bancária

Empresas:

  • A Caixa dará apoio às micro e pequenas empresas, com redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% a.m.
  • Disponibilização de carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação
  • Disponibilização de linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços, mais afetadas pelo momento atual
  • Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos, com taxas reduzidas e até 60 meses para pagamento

Habitação:

  • Para contratos habitacionais de pessoa física, os clientes poderão solicitar a pausa estendida de até duas prestações pelo APP Habitação CAIXA, sem a  necessidade de comparecimento às agências
  • Empresas poderão solicitar pausa estendida de até duas prestações em seus contratos habitacionais

Caixa Hospitais:

  • Liberação de R$ 3 bilhões em orçamento em linhas destinadas a Santas Casas e Hospitais Filantrópicos que prestam serviço ao SUS, para reestruturação de dívidas e novos recursos.
  • Taxa de juros de 0,80% a.m. para prazos de até 60 meses (redução de 14%)
  • Taxa de juros de 0,87% a.m. para prazos de até 120 meses (redução de 23%)
  • Prazo de pagamento de até 120 meses e carência de até seis meses

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.