finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Caixa aperta o cerco a devedores do SFH

A Caixa Econômica Federal transferiu para a Empresa Gestora de Ativos (Emgea) a responsabilidade de cobrar as dívidas de quem fechou contratos imobiliários até 1996. A empresa foi criada pelo Ministério da Fazenda para assumir créditos ruins e combater a inadimplência alta que caracteriza negócios como o da habitação.Uma das missões da instituição será apertar o cerco aos maus pagadores. Ela estará autorizada, inclusive, a reaver na Justiça os imóveis de quem estiver em atraso. No caso dos financiamentos para a casa própria, o índice de inadimplentes é de 30%, de acordo com a Caixa. No total, um milhão de contratos foram repassados à Emgea. As dívidas somam R$ 26,7 bilhões.Por enquanto, não há mudanças que atinjam diretamente quem tem dívidas com a Caixa. É possível que a Emgea organize novas formas de negociação para os mutuários, mas ainda não há uma solução concreta.O alto índice de inadimplência que torna "podres" os créditos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) é causado por um desequilíbrio entre o aumento do saldo devedor e as mensalidades. Taxas de juros, inflação e planos econômicos fizeram com que, em muitos casos, a dívida crescesse acima do que era amortizado com as prestações.Com essa equação, surgiram casos como o da mutuária Rosângela Franzese. Ela paga R$ 1.040,00 ao mês por um imóvel comprado em 1993 e diz já ter desembolsado uma vez e meia o valor total. Rosângela está com as prestações em dia, mas já procurou ajuda na Associação de Mutuários Moradores de São Paulo (AMMS). Segundo o cálculo do setor jurídico da associação, Rosângela deveria pagar R$ 205,00 por mês. Por isso, ela entrou na Justiça e aguarda uma decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.