Caixa aplicará recursos do FGTS na hidrelétrica de Jirau

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje que irá aplicar recursos do recém-criado Fundo de Investimento formado por recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) nas obras da Hidrelétrica de Jirau e também na construção da usina de Santo Antonio, que já foi licitada. O leilão para Santo Antonio foi vencido pelo consórcio liderado pela construtora Odebrecht e Furnas Centrais Elétricas. Hoje, o Ministério de Minas e Energia anunciou o adiamento do leilão de Jirau de 12 para 19 de maio.As duas futuras usinas do complexo hidrelétrico do Rio Madeira estão entre as obras consideradas prioritárias pelo governo dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A estimativa é que elas comecem a funcionar em 2012 e 2013, podendo, juntas, gerar quase 7 mil megawatts de energia elétrica.O vice-presidente de Ativos de Terceiros da Caixa, Bolivar Tarragó, não informou quanto do FI-FGTS será aplicado nos dois projetos do Madeira, alegando "compromisso de confidencialidade" com o Conselho Curador do FGTS. Segundo ele, esse compromisso vigora neste momento de negociação entre a Caixa, que é gestora do fundo, e o consórcio vencedor da licitação da primeira usina e de disposição em conversar com as empresas interessadas em participar do leilão da usina de Jirau. "O Comitê Gestor de investimentos do fundo já nos autorizou a conversar e a idéia é dar as mesmas condições para todos os interessados (em Jirau)", informou ele.Outros quatro projetos na área de energia elétrica, que também não podem ainda ser detalhados, poderão receber investimentos do FI-FGTS que são obras de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usinas de porte médio. Segundo o executivo da Caixa, a participação do fundo ocorrerá por meio de investimento direto, com a compra de uma participação minoritária dos projetos, ou por aquisição de papéis (debêntures) emitidos pelos consórcios. O regulamento do novo fundo limita as aplicações a 30% do valor de um projeto.O FI-FGTS tem um orçamento inicial de R$ 5 bilhões do patrimônio líquido do FGTS criado para investir em projetos de saneamento e infra-estrutura. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ainda está finalizando detalhes do regulamento de funcionamento deste fundo, mas o dirigente da Caixa afirmou que ele deve ser publicado nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.