Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Caixa do BID pode ter reforço de até US$ 180 bi

Representantes de 48 países apoiaram ontem um aumento de cerca de US$ 180 bilhões no capital do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para elevar o potencial de empréstimo da instituição multilateral a governos e empresas dos setores públicos e privados de países da América Latina e do Caribe. Além disso, os governos concordaram estudar outras medidas que capacitem o BID atender à demanda por crédito até que o aumento de capital seja efetivado. Tendo em vista o agravamento da crise econômica internacional e o fato de que, como obrigatoriamente o aumento tem de receber o aval dos Congressos dos respectivos países, pode demorar pelo menos um ano e meio até que os recursos estejam disponíveis.Segundo o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que representa o Brasil no BID, "nenhum país se opôs ao aumento" durante as discussões preliminares que aconteceram ontem, em preparação para as sessões plenárias da Assembleia de Governadores, que acontecem hoje e amanhã. Porém, o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, disse que Washington vai estudar a proposta.Os EUA têm 30% do capital do BID ( US$ 100 bilhões). Geithner disse que os EUA estão encorajando organismos internacionais que oferecem crédito, inclusive o Fundo Monetário Internacional, a elevar seu capital, de modo a enfrentar a escassez de recursos durante a crise econômica global. No entanto, ele não abraçou prontamente a proposta. Diversos parlamentares nos EUA criticam a gestão do BID, inclusive uma perda de US$ 1,9 bilhão em ativos tóxicos.COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.