André Dusek/Estadão - 9/1/2018
André Dusek/Estadão - 9/1/2018

Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Caixa e Sebrae firmam acordo e plano é injetar R$ 7,5 bi em crédito para micro e pequenas empresas

'Através da parceria, o banco disponibilizará melhores condições de taxas, prazo e carência', diz o presidente da Caixa

Aline Bronzati e Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2020 | 11h53

A Caixa Econômica Federal e o Sebrae firmaram nesta segunda-feira, 20, um convênio com o objetivo de liberar R$ 7,5 bilhões em crédito para micro, pequenas empresas e ainda microempreendedores individuais (MEIs). O foco é apoiar esses negócios a enfrentarem os impactos da crise gerada pela pandemia de coronavírus no Brasil, que colocou as pessoas dentro de suas casas para conter a propagação da doença no País.

O anúncio estava previsto para a semana passada, mas está sendo feito somente agora depois de conflitos na agenda dos porta-vozes envolvidos. Em nota à imprensa, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, reforça o foco do banco junto aos pequenos empreendimentos.

"Através da parceria, o banco disponibilizará melhores condições de taxas, prazo e carência, de forma a atender a demanda por crédito desse setor tão importante para a economia", diz o presidente da Caixa.

As linhas de crédito terão custo a partir de 1,19% ao mês para empresas de pequeno porte, sendo até R$ 125 mil por CNPJ, 12 meses de carência e prazo de pagamento de 36 meses. Para micro empresa, os juros se iniciam em 1,39% ao mês, valor máximo de até R$ 75 mil, 12 meses de carência e 30 meses de pagamento. Já a taxa dos empréstimos para os microempreendedores individuais começará em 1,59% ao mês, financiamento de até R$ 12,5 mil por MEI, 9 meses de carência e 24 meses de pagamento.

A parceria utiliza as linhas de crédito disponibilizadas pela Caixa e as garantias complementares serão concedidas pelo Sebrae por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe). Além de entrar com recursos para alavancar o volume de operações de crédito através do Fampe, o Sebrae irá oferecer aos empreendedores o crédito assistido.

Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, "um dos maiores obstáculos no acesso dos pequenos negócios a crédito é a exigência de garantias feita pelas instituições financeiras. Nesse sentido, o Fampe funciona como um salvo-conduto, que vai permitir aos pequenos negócios, incluindo até o microempreendedor individual, obterem os recursos para capital de giro, tão necessários para atravessarem a crise provocada pela pandemia do coronavírus, mantendo os negócios e os empregos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.