Ueslei Marcelino/ Reuters
Ueslei Marcelino/ Reuters

Nova presidente da Caixa escolhe funcionária do banco há 15 anos para ser seu braço direito

A escolhida foi a advogada Danielle Calazans, atual secretária de Gestão Corporativa do Ministério da Economia e com mais de 15 anos de trabalho como servidora da Caixa

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2022 | 19h47

BRASÍLIA - Nomeada para a presidência da Caixa Econômica, Daniella Marques, escolheu outra mulher para ser seu braço direito à frente do comando do banco estatal. A escolhida foi a advogada Danielle Calazans, atual secretária de Gestão Corporativa do Ministério da Economia e com mais de 15 anos de trabalho como servidora da Caixa.

As duas já estão trabalhando juntas na elaboração de um plano de ação para administrar e crise no banco com a saída de Pedro Guimarães da presidência da Caixa, investigado em denúncias de assédio sexual e moral contra funcionários da instituição financeira.

Elas se conhecem desde a transição do governo, quando Calazans participou do trabalho de fusão de cinco ministérios para formar o Ministério da Economia. Hoje, ela trabalha na equipe do secretário executivo, Marcelo Guaranys.

O nome de Daniella Marques já foi aprovado hoje pelo comitê de elegibilidade da Caixa. Uma reunião extraordinária será convocada em breve para definir a saída de Celso Leonardo Barbosa, vice-presidente de atacado da Caixa, também envolvido no escândalo. Há duas opções. Ou ele assina uma carta de renúncia ou será demitido pelo conselho.

Daniella Marques teve uma reunião nesta sexta-feira, 1º, com o presidente do Conselho de Administração, Rogerio Rodrigues Bimbi, para acertar os próximos passos. Ela tomará posse na terça-feira, 5, com a prioridade de dar uma resposta célere às denúncias. A estratégia será isolar os negócios do banco da crise e instalar uma instância permanente de apuração com rigor máximo das denúncias. 

Daniella Marques quer dar uma resposta rápida e ao mesmo tempo focar a organização na parte de negócios do banco. À frente do banco, ela vai continuar o trabalho de democratização do crédito e foco também nas micro e pequenas empresas.

Além de Barbosa, outros dirigentes do banco serão trocados para a formação de uma nova equipe. Já há uma vice-presidência aberta, que controla a área de pessoas e cargos de consultores estratégicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.