Marcos Corrêa/PR - 2/12/2019
Marcos Corrêa/PR - 2/12/2019

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Caixa estuda antecipar crédito imobiliário com taxa pré-fixada com presença de Bolsonaro

Anúncio de nova modalidade estava previsto apenas para março, mas deve ser antecipado para os próximos dias; o presidente do banco, Pedro Guimarães, ainda precisa do aval do ministro Paulo Guedes

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2020 | 15h35

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro deve participar do lançamento da nova linha de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal com taxa pré-fixada. Cada vez mais próximo de Bolsonaro, o presidente do banco, Pedro Guimarães, quer antecipar o anúncio para os próximos dias, segundo apurou o Estado.

A previsão inicial era fazer o lançamento somente em março. Os detalhes da linha estão sendo fechados pela área técnica da Caixa. O anúncio deverá ser feito no Palácio do Planalto.

A nova modalidade não terá correção pela Taxa Referencial (TR) nem pela inflação (IPCA). No ano passado, em agosto, o banco estatal lançou a linha com correção pelo IPCA.

Bolsonaro tem convidado Guimarães para suas viagens e mensagens ao vivo nas redes sociais e se transformou numa espécie de “garoto propaganda” do banco estatal.

Guimarães, no entanto, ainda precisa do ok do ministro da Economia, Paulo Guedes, para o novo modelo.

Durante evento esta semana, em São Paulo, Guimarães declarou que a taxa ficará abaixo de 10% ao ano. Com a linha, a Caixa quer financiar imóveis com prazos entre 20 ou 25 anos.

Dados divulgados na quinta-feira, 30, pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) mostram que o banco público concedeu R$ 26,6 bilhões no ano passado, desbancando o concorrente Bradesco - líder em 2018, com cerca de R$ 17,9 bilhões, seguido por Itaú Unibanco, com R$ 16,7 bilhões.

O banco da habitação reconquistou a liderança após dobrar o volume de empréstimos no ano passado frente a 2018, quando havia liberado R$ 13,3 bilhões. O número de unidades financiadas também disparou. Passou de 100 mil contra pouco mais de 55 mil no ano anterior. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.