Caixa: FGTS não afetará financiamentos

O presidente da Caixa Econômica Federal, Emilio Carazzai, assegurou hoje que os programas de financiamento habitacionais não serão afetados pelo pagamento da correção dos saldos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, para a reposição dos expurgos inflacionários dos planos Verão (janeiro de l989 e Collor I (abril de l990), mesmo que os recursos sejam retirados, em parte, do próprio FGTS. "O mercado imobiliário pode ficar tranqüilo porque o fundo continuará financiando o sistemas habitacionais e de saneamento básico", assegurou. Carazzai disse que as contas vinculadas do FGTS, que somam um patrimônio em torno de R$ 70 bilhões, não serão afetadas pelo pagamento da dívida de correção dos saldos. Segundo ele, a disponibilidade do FGTS soma R$ 13 bilhões, dos quais cerca R$ 9 bilhões são correspondentes à parcela do saldo líquido disponível, "cerca de R$ 2 bilhões estão comprometidos com contratos já celebrados e outros R$ 2 bilhões fazem parte do fundo de liquidez", contabilizou o presidente da Caixa. Carazzai disse que a correção dos saldos do FGTS não deve interferir na decisão do Conselho Curador do Fundo, que está apreciando pedido da CEF de um aporte de R$ 1,2 bilhão de reais para financiamentos habitacionais. Este montante deve se somar aos R$ 6 bilhões destinados ao sistema de financiamento habitacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.