Estadão
Estadão

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Caixa fica no topo do ranking de reclamações do BC em agosto

Pelo segundo mês consecutivo, banco ficou no topo da lista das instituições bancárias que receberam o maior número de queixas de clientes

Sandra Manfrini, O Estado de S. Paulo

15 de setembro de 2015 | 12h08

BRASÍLIA - A Caixa Econômica Federal continuou, em agosto, no topo da lista das instituições com maior volume de reclamações em relação ao tamanho do seu conglomerado. De acordo com o ranking, divulgado nesta terça-feira, 15, pelo Banco Central, o total de pontos recebidos pela Caixa, em agosto, caiu de 12,85 para 10,94, mas, mesmo assim, a instituição manteve a liderança na lista. 

O resultado é proveniente de 842 reclamações consideradas como procedentes pelo BC, de um total de 76,952 milhões de clientes. Essa classificação por pontos é gerada com base em um índice que leva em conta instituições que receberam o maior volume de queixas de usuários de seu serviço em relação ao total de clientes. Todas são avaliadas pelo BC pelo seu conglomerado.

O Bradesco manteve a segunda colocação no ranking de queixas em agosto. A instituição recebeu 833 reclamações consideradas procedentes, o que levou o banco a receber 10,90 pontos, ante 12,80 pontos registrados em julho. O Bradesco tem 76,380 milhões de clientes.

O banco Itaú, que ocupava em julho a quinta colocação na lista divulgada pelo BC, subiu para o terceiro lugar, com um índice de 6,84 pontos (6,91 pontos de julho). O conglomerado recebeu 407 reclamações e tem um total de 59,422 milhões de clientes. 

Na quarta posição, com 6,75 pontos (7,12 pontos em julho) continua o Santander. Foram registradas em agosto 221 reclamações consideradas procedentes pelo BC. A instituição tem um total de 32,729 milhões de clientes.

Na quinta posição aparece o HSBC, com 6,04 pontos. Em julho, o conglomerado ocupava a terceira posição, com 7,56 pontos. De acordo com os dados do ranking divulgado pelo BC, em agosto, o HSBC recebeu 76 reclamações. A base de clientes da instituição é de 12,579 milhões. 

Reclamações. Em agosto, o total de queixas feitas ao BC e consideradas com fundamentação foi de 3.581. O número é menor que as 4.062 reclamações registradas em julho. A queixa mais comum continua sendo a restrição à realização de portabilidade de operações de crédito consignado relativas a pessoas naturais. O total de reclamações relativas a esse item diminuiu, no entanto, de 807 em julho para 580 em agosto.

Na segunda posição entre os motivos da reclamação, continua a crítica sobre irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito. Foram 422 queixas relativas a esse item (492 em julho). O terceiro lugar foi mantido com cobrança irregular de tarifa por serviços não contratos, com 318 queixas (409 em julho). 

A quarta colocação também continuou com débito em conta de depósito não autorizado pelo cliente, com 299 reclamações (341 em julho). Outras irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços manteve-se na quinta posição, com 262 queixas (240 em julho).

Tudo o que sabemos sobre:
Caixa Econômica FederalBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.